Informações Sobre os Suplementos Alimentares

Publicado: maio 26, 2013 em Saúde e Boa Forma

Whey Protein

Como é vendido: Vendido em pó, líquido, gel e barras

Indicação:

É um suplemento alimentar proveniente do leite, extraído do soro do processamento de queijos, com alto valor biológico, ou seja, contém todos os aminoácidos essenciais (que não são produzidos pelo corpo), que são necessários para o ganho de massa muscular.

O whey protein é um composto de varias proteínas presentes no soro do leite. As proteínas é matéria prima para construção muscular e há indícios de que ajuda a fortalecer o sistema imune do corpo e auxilia o controle da saciedade. As proteínas possuem ampla variedade de funções fisiológicas fundamentais ao desempenho físico ideal, além de ser o principal componente da maior parte das enzimas musculares.

(…)

Uso para prática de atividade física:

Quando treinamos, causamos micro-lesões no tecido muscular, como resposta de defesa o organismo dá um estímulo de recuperação desse tecido. Se o treinamento foi intenso o estimulo de recuperação é ainda maior, levando o corpo a supercompensação.

Mas para isso o corpo necessita dos macronutrientes (proteínas, carboidratos e lipídeos) dos micronutrientes (vitaminas e minerais) também conhecidos como antioxidantes e da recuperação pós-treino (descanso e sono). A suplementação de proteínas pode ser necessária para atletas que realizam exercícios muito intensos e não conseguem obter toda a proteína necessária através da dieta.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Anvisa permite o uso como alimento para atletas, sendo assim, não é recomendado para os que se exercitam por lazer ou estética, pois para estes casos, geralmente uma dieta balanceada é o suficiente. Este produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico (…).

Altas doses de aminoácidos provenientes das proteínas ingeridas podem gerar sobrecarga no funcionamento do fígado e dos rins. Pessoas com problemas nestes órgãos devem obter liberação médica para seu uso.

Colaboração:
– Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME
– Suzana Esper 

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/whey-protein—suplemento-nutricional.htm

Caseína

Como é vendido: Disponível em pó.

Indicação:

A caseina é uma das proteínas do leite e representa 80% do total de proteínas do leite fresco. Ela é bem estável e tem absorção lenta, o que pode ser útil para que as proteínas estejam disponíveis à medida que são necessárias e não de uma vez.

Porém, quando as necessidades de proteína são altas (logo após o treinamento de hipertrofia, por exemplo) pode ser necessário o uso de uma fonte de proteínas mais rápida. O whey protein, por ser composto por mais de um tipo de proteína tem vantagens sobre a caseína, já que tem uma ação mais variada.

Uso para prática de atividade física:

Caseína é uma proteína de alto valor biológico (boa variedade de aminoácidos e com aminoácidos essenciais) e estudos comprovam sua eficiência na redução no catabolismo muscular (decomposição das fibras musculares para utilizar as proteínas como energia).

Por ser uma proteína de absorção lenta, a caseína é mais recomendada para suplementação constante de proteínas do que para utilização imediatamente pré ou pós treino, quando o corpo precisa do fornecimento rápido de uma grande quantidade de proteínas.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Algumas pessoas com autismo e síndrome de Asperger são sensíveis a caseína e ao glúten. Por ser proveniente do leite, pode causar reações adversas naqueles com intolerância à lactose. O excesso pode causar náuseas, diarréias e vômitos.

Anvisa permite o uso de caseína como alimento para atletas, sendo assim, não é recomendada para os que se exercitam por lazer ou estética, pois para estes casos, geralmente uma dieta balanceada é o suficiente. Este produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico (…).

Colaboração: Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/caseina.htm

Glutamina

Como é vendido: Encontrada em cápsulas ou em pó.

Indicação:

A glutamina é o aminoácido livre mais abundante no plasma e no tecido muscular. Nutricionalmente é classificada como um aminoácido não essencial, uma vez que pode ser sintetizada pelo organismo a partir de outros aminoácidos.

A maior produção e liberação de glutamina está relacionada a fatores fisiológicos (exercício) e estressores (cirurgia, traumas, queimaduras). Em situações de elevado catabolismo muscular, como após exercícios físicos intensos e prolongados, a concentração de glutamina pode tornar-se reduzida, nestes casos, sua demanda está aumentada.

A suplementação de glutamina é recomendada para os momentos em que ela se encontra com concentração reduzida no corpo.

Uso para prática de atividade física:

Como em situações de exercício intenso a glutamina é muito recrutada, acredita-se que a concentração intramuscular de glutamina pode regular o catabolismo (quebra) e anabolismo (formação) proteico. Com o aumento da quantidade desse aminoácido no músculo, acredita-se que a disponibilidade de energia para os processos anabólicos aumentará, beneficiando a recuperação da lesão induzida pelo exercício exaustivo.

Teoricamente, a glutamina melhoraria o sistema imunológico de atletas submetidos a treinamento intenso, mas esse efeito não foi comprovado.

A Anvisa acredita que os supostos benefícios da glutamina para atletas não foram devidamente comprovados, proibindo então a venda desta como alimento para atletas. Sua venda como suplemento nutricional é permitida por registro na agência, desde que se comprove a segurança e indicação de uso comprovado no ato do registro.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Não é considerado pela Anvisa como alimento para atletas, pois sua função de redução de perda da massa muscular e reforço no sistema imunológico não foi comprovada por pesquisas. Ela pode ser vendida como suplemento nutricional sem alegar esses benefícios, desde que o fabricante ou importador mostre no ato do registro provas de sua segurança.

Altas doses de aminoácidos podem gerar sobrecarga no funcionamento do fígado e dos rins. Pessoas com problemas nestes órgãos devem obter liberação médica para seu uso.

Colaboração:
– Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME
– Suzana Esper

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/glutamina—suplemento-nutricional.htm

Arginina (NO)

Como é vendido: Encontrada em cápsulas ou em pó.

Indicação:

A arginina é um aminoácido percurso do óxido nítrico (NO) no corpo humano, por ser um gás, sua suplementação direta não é possível, por isso os suplementos de NO são na verdade suplementos de aminoácidos precursores do NO no organismo, o mais utilizado é a arginina.

O NO é um gás que possui efeito vasodilatador que por isso auxilia o fornecimento de nutrientes e oxigênio para os músculos, além de favorecer a eliminação de substâncias tóxicas acumuladas durante a prática da atividade física, facilitando o processo de recuperação muscular.

Porém pesquisas mostram que a disponibilidade de arginina não é limitante para a formação de NO, pois a quantidade de arginina normalmente disponível no organismo excede em milhares de vezes a quantidade necessária para que as reações de síntese de NO aconteçam. Estudos recentes revelam que a suplementação de arginina não promove aumentos na produção de óxido nítrico, além de não influenciar a performance nem o metabolismo durante o exercício. Além disso, em grandes quantidades o NO é tóxico aos seres humanos.

Uso para prática de atividade física:

Especula-se que a suplementação de arginina pode aumentar a produção de óxido nítrico (NO). Esse gás, por ter propriedades vasodilatadoras, aumenta o fornecimento de nutrientes e oxigênio para o músculo e ajuda na remoção de substâncias tóxicas, auxiliando a recuperação muscular pós exercício.

O uso da arginina endovenosa estimula o aumento da produção de hormônio de crescimento (GH) substância que contribui com o aumento muscular. Entretanto não existe comprovação de que por via oral ela tenha o mesmo efeito.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Não é alimento para atletas, pois o efeito de auxílio na adaptação fisiológica do sistema cardiovascular às necessidades da prática de atividades física não foi comprovado. O gás NO em grandes quantidades pode ser tóxico, mas a suplementação com arginina não parece ter de fato aumentado a quantidade do gás no organismo.

Colaboração: Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/arginina-no.htm

Albumina

Como é vendido: Vendida em tabletes ou em pó.

Indicação:

É uma proteína presente na clara do ovo e no leite. Indicada para pessoas cujo objetivo é o aumento de massa muscular. Ela possui uma boa variedade de aminoácidos, por isso é considerada uma proteína de boa qualidade para os atletas.

Além de fornecer aminoácidos para a síntese de proteínas ela possui diversas funções no sangue humano, onde está presente em altas quantidades. Ela auxilia regulação osmótica (regula distribuição dos líquidos dentro e fora da célula), auxilia no transporte de hormônios tireoidais, hormônios lipossolúveis e ácidos graxos livres.

Uso para prática de atividade física:

Os suplementos de albumina são à base exclusivamente de proteínas e são altamente digestíveis . A albumina fornece aminoácidos essenciais em boas quantidades, sendo importante para a reposição de proteínas em atletas para recuperação e hipertrofia muscular, além de poder ser usada como fonte de energia.

Ela também se encontra a corrente sanguínea, exercendo diversas funções essenciais para o metabolismo durante o exercício, como controle da pressão arterial, transporte de hormônios e gorduras.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Anvisa permite o uso de albumina como alimento para atletas, sendo assim, não é recomendada para os que se exercitam por lazer ou estética, pois para estes casos, geralmente uma dieta balanceada é o suficiente. Este produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico e crianças, gestantes e idosos, consumir preferencialmente sob orientação de nutricionista e ou médico.

Altas doses de aminoácidos provenientes das proteínas ingeridas podem gerar sobrecarga no funcionamento do fígado e dos rins. Pessoas com problemas nestes órgãos devem obter liberação médica para seu uso.

Colaboração:
– Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME
– Suzana Esper

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/albumina—suplemento-nutricional.htm

Proteína de Soja

Como é vendido: Disponível em pó.

Indicação:

A proteína da soja tem alto valor biológico, contendo uma boa variedade de aminoácidos, inclusive os aminoácidos essenciais, não produzidos pelo corpo. É indicada como fonte alternativa de proteínas, especialmente para aqueles que tem intolerância à lactose ou algum outro problema com a ingestão da proteína de leite.

Uso para prática de atividade física:

Por ser uma fonte de proteínas, esse suplemento visa fornecer as proteínas necessárias para a recuperação muscular e hipertrofia dos atletas.

Quando treinamos, causamos micro-lesões no tecido muscular reduzindo a quantidade desse tecido no corpo, como resposta de defesa o organismo dá um estímulo de recuperação desse tecido. Se o treinamento foi intenso o estimulo de recuperação é ainda maior, levando o corpo a supercompensação.

Como as proteínas são a matéria prima dos músculos, elas são necessárias para auxiliar a recuperação muscular pós treinamento e para a hipertrofia muscular estimulada pelo exercício. A suplementação de proteínas pode ser necessária para atletas que realizam exercícios muito intensos e não conseguem obter toda a proteína necessária através da dieta.

Em caso de fornecimento insuficiente de carboidratos e gorduras como fontes de energia, as proteínas serão desviadas para a produção da energia necessária durante e após o exercício.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Anvisa permite o uso de proteína de soja como alimento para atletas, sendo assim, não é recomendada para os que se exercitam por lazer ou estética, pois para estes casos, geralmente uma dieta balanceada é o suficiente. Este produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico e crianças, gestantes e idosos, consumir preferencialmente sob orientação de nutricionista e ou médico.

Altas doses de aminoácidos provenientes das proteínas ingeridas podem gerar sobrecarga no funcionamento do fígado e dos rins. Pessoas com problemas nestes órgãos devem obter liberação médica para seu uso.

Colaboração: Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/proteina-de-soja.htm

Creatina

Como é vendido: Vendida em pó.

Indicação:

A creatina é um composto de aminoácidos presente nas fibras musculares e no cérebro. A palavra deriva do grego kreas, que significa carne.

Em humanos, geralmente metade da creatina armazenada é originada dos alimentos (principalmente da carne e peixe). É usada na tentativa de impulsionar os níveis de força, acentuar ganhos no tamanho e na força do músculo e prevenir avaria no tecido muscular, que pode ocorrer após exercícios intensos.

Uso para prática de atividade física:

A creatina é uma fonte de energia imediata para o músculo e se encontra em quantidades limitadas dentro das células musculares, isso acontece porque a síntese desta substância é feita no fígado e levada aos músculos pela corrente sanguínea. Durante a suplementação com creatina, um atleta pode aumentar seus níveis de creatina no músculo e assim produzir mais energia durante rápidas e intensas “explosões” de força. Ela é util em esportes de explosão como provas curtas e 100 metros rasos ou no levantamento de peso.

Isso acontece porque a síntese desta substância é feita no fígado e levada ao sangue e diretamente aos músculos.

A creatina proporciona um aumento de água dentro dos músculos, dando a impressão de que a fibra está aumentada. “O aumento celular é o processo pelo qual moléculas de água são puxadas para dentro da célula do músculo, ajudando-a a mostrar-se “cheio”, desse modo, a célula muscular fica mais hidratada e cria todas as condições favoráveis para o crescimento do músculo”, diz Euclésio Bragança, nutrólogo da Associação Brasileira de Empresas de Produtos Nutricionais (Abenutri).

Contraindicações e efeitos colaterais:

Anvisa permite o uso de creatina como alimento para atletas, sendo assim, não é recomendada para os que se exercitam por lazer ou estética, pois para estes casos, geralmente uma dieta balanceada é o suficiente. Este produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico (…). A Anvisa também adverte que o consumo de creatina acima de 3g ao dia pode ser prejudicial à saúde.

Com a suplementação de creatina, pode haver sobrecarga do fígado e rins interferindo no funcionamento normal desses órgãos.

Colaboração:
– Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME
– Suzana Esper

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/creatina—alimento-para-atleta.htm

BCAA

Como é vendido: Vendido em cápsulas ou em pó.

Indicação:

BCAA são os aminoácidos de cadeia ramificada que estão entre os aminoácidos conhecidos como essenciais por não serem produzidos pelo corpo, sua presença no organismo humano depende da ingestão alimentar.

Aminoácidos são as unidades básicas da composição de uma proteína. Em indivíduos adultos, os BCAA’s são relevantes para a manutenção da proteína corporal além de serem fonte de nitrogênio para a síntese de alanina e glutamina. Existem evidências demonstrando o papel fundamental dos aminoácidos de cadeia ramificada especialmente a leucina como regulador do metabolismo proteico.

Algumas pesquisas têm demonstrado que a suplementação com BCAA tem sido mais eficiente em promover o aumento da taxa de síntese proteica quando comparada à ingestão de proteínas encontradas nos alimentos. Mas, segundo a Anvisa, as pesquisas apresentadas sobre os benefícios da suplementação de BCAA no desempenho de atletas são insuficientes para garantir seu efeito associado ao exercício.

Uso para prática de atividade física:

Para a nutrição esportiva, os BCAA’s são utilizados a partir da premissa de que podem atuar amenizando fadiga central por favorecerem a síntese proteica. Acredita-se que eles auxiliam a secreção de insulina, diminuem o grau de lesão muscular induzido pelo exercício físico e aumentam a performance de indivíduos que se exercitam em ambientes quentes. Porém ainda são necessários mais estudos para comprovar a eficácia da suplementação de BCAA.

Parece proporcionar uma melhora do sistema imunológico e na recuperação muscular após exercícios com carga mas os dados ainda não são fidedígnos.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Os aminoácidos de cadeia ramificada não podem ser indicados para atletas, tendo em vista que não foi demonstrada a eficácia dessas substâncias para esse grupo de indivíduos. Os BCAA estão temporariamente dispensados da obrigatoriedade de registro e podem ser comercializados como alimentos, enquanto não contemplados em regulamentação específica, não podendo ser indicados para atletas nem conter indicação de uso para atletas na designação, rotulagem e qualquer que seja o material promocional do produto.

Altas doses de aminoácidos podem gerar sobrecarga no funcionamento do fígado e dos rins. Pessoas com problemas nestes órgãos devem obter liberação médica para seu uso.

Colaboração:
– Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/bcaa—suplemento-nutricional.htm

L-Carnitina

Como é vendido: Era vendida em cápsulas ou líquida. Não existe à venda legalmente no Brasil.

Anvisa: “O produto L-Carnitina é classificado fora do país como suplemento alimentar. No Brasil, não temos a categoria de suplementos alimentares regulamentada. Se a empresa que estiver comercializando o produto, classificá-lo como “alimento para atleta”, o produto está ilegal no país, tendo em vista que na Resolução RDC n.18/2010 não há previsão de uso dessas substâncias. Se a empresa estiver classificando na categoria de “novo alimento”, podendo ser utilizado por qualquer pessoa, deve ser avaliado quanto à segurança de uso e registrado na Anvisa. Até o momento, não temos registro dessa substância na Anvisa como alimento. ”

Indicação:

A L-Carnitina é um nutriente sintetizado de um aminoácido essencial, a lisina, presente em todas as mitocôndrias do corpo. Carnitina é produzida pelo organismo em pequenas quantidades e é armazenada nos músculos esqueléticos, onde é necessária para transformar os ácidos graxos em energia para atividades musculares.

O ativo desempenha papel importante no metabolismo da gordura, transportando os ácidos gordos de cadeia longa, para a mitocôndria (fonte energética das células), contribuindo para a combustão da gordura.

Em dieta balanceada são absorvidas entre 50 e 100mg de carnitina diárias. A fonte mais rica em carnitina é a carne (especialmente a carne de carneiro). Em dietas vegetarianas, são ingeridas pequenas quantidades de carnitina.

Uso para prática de atividade física:

O metabolismo das gorduras nas células musculares depende da presença da carnitina, especula-se que uma maior concentração desse nutriente poderia aumentar a energia retida pelo músculo.

Os efeitos positivos da carnitina estariam intimamente ligados ao treinamento físico, pois ela potencializaria o gasto de gorduras natural do exercício. Com um maior gasto de gorduras, a carnitina aumentaria o condicionamento físico pela maior produção de energia, auxiliando o emagrecimento e o controle do colesterol. Mas esses resultados previstos não foram comprovados, segundo a Anvisa.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Segundo a Anvisa, não se deve utilizar mais do que 2g diários de L -carnitina, acima dessas doses ela pode provocar sintomas como náusea, diarréia e vomito. Além disso, não está comprovado que este produto melhore o desempenho físico e ele não é indicado para redução de gordura corporal. Alguns suplementos importados trazem mascarados em sua fórmula esteróides anabólicos com consequencias deletérias ao organismo. Por estes Fatores a Anvisa decidiu proibir a venda de L-carnitina no país até que se comprove sua eficiência e segurança para atletas.

Altas doses de aminoácidos podem gerar sobrecarga no funcionamento do fígado e dos rins. Pessoas com problemas nestes órgãos devem obter liberação médica para seu uso.

Colaboração:
– Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME
– Suzana Esper

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/l-carnitina—suplemento-nutricional.htm

HMB

Como é vendido: Era vendido em cápsulas. Não existe à venda legalmente no Brasil.

Anvisa: “Os produtos HMB (BETA-HIDROXI-BETA-METILBUTIRATO) e o Cálcio-HMB- (hidroximetilbutirato) são classificados fora do país como suplementos alimentares. No Brasil, não temos a categoria de suplementos alimentares regulamentada. Se a empresa que estiver comercializando o produto, classificá-lo como “alimento para atleta”, o produto está ilegal no país, tendo em vista que na Resolução RDC n.18/2010 não há previsão de uso dessas substâncias. Se a empresa estiver classificando na categoria de “novo alimento”, podendo ser utilizado por qualquer pessoa, deve ser avaliado quanto à segurança de uso e registrado na Anvisa. Até o momento, não temos registro de nenhuma dessas substâncias na Anvisa como alimento. ”

Indicação:

O HMB é um tipo de aminoácido de cadeia ramificada (BCAA) que é obtido pela quebra da leucina, ele é produzido pelo corpo humano em pequenas quantidades. Acredita-se que ele auxilia a síntese protéica, diminuindo o catabolismo que ocorre após os exercícios (quebra das proteínas dos músculos para gerar energia na recuperação dos exercícios intensos).

Uso para prática de atividade física:

Acredita-se que o HMB auxilia a síntese protéica pós exercício, diminuindo o catabolsimo (quebra das proteínas) comum após os exercícios intensos, quando o corpo precisa de energia para a recuperação da musculatura lesionada e posterior hipertrofia.

A eficácia do HMB foi comprovada apenas em idosos para a redução da perda de massa muscular, quando associado a exercícios de musculação.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Alguns estudos sugeriram que o uso de HMB poderia estar associado a problemas renais. Porém existem outros estudos que contestam esse resultado, portanto são necessárias mais pesquisas sobre eficiência e segurança desse tipo de suplementação.

Altas doses de aminoácidos podem gerar sobrecarga no funcionamento do fígado e dos rins. Pessoas com problemas nestes órgãos devem obter liberação médica para seu uso.

*Colaboração: Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/hmb.htm

Cartilagem de Tubarão

Como é vendido: Vendido em cápsulas, compridos ou pó.

Indicação:

É uma substância mais flexível que o osso, encontrada no organismo humano – nariz e em torno das articulações.

Tem propriedades antiinflamatórias, indicada no tratamento da artrite reumatoide, osteoartrite e psoríase. Age facilitando o transporte dos nutrientes formadores de cartilagem para as articulações estimulando reparo e reduzindo a degradação.

Uso para prática de atividade física:

Se supõe que a cartilagem de tubarão melhoraria a condição da cartilagem articular em seres humanos, o que seria importante para atletas com desgaste articular pelo esforço.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Pode provocar reações alérgicas principalmente em pessoas com predisposição a alergias com frutos do mar. Se consumido em quantidades além da recomendada podem apresentar toxidade por presença de metais pesados e excesso de cálcio e fósforo.

Colaboração:
– Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME – Suzana Esper

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/cartilagem-de-tubarao—suplemento-nutricional.htm

Gelatina

Como é vendido: Em cápsula, em pó ou pronta em formato gelatinoso.

Indicação:

A gelatina é formada pela hidrólise parcial do colágeno, por isso, ela auxilia a síntese de colágeno no organismo. O colágeno é uma proteína importante para a saúde da pele, dos ossos, cartilagens e tendões no corpo humano, conferindo elasticidade a essas estruturas, sendo essencial para as adaptações do corpo humano ao exercício. O colágeno representa quase um terço das proteínas do corpo humano.

Teoricamente o colágeno evitaria a flacidez muscular.

Com a idade, o corpo passa a produzir menos colágeno, sendo a suplementação de gelatina ainda mais necessária para manter os níveis de colágeno normais. Além disso, a gelatina contém aminoácidos essenciais que podem auxiliar na síntese de outras proteínas.

Uso para prática de atividade física:

A gelatina auxilia na recuperação de cartilagens desgastadas, ossos e tendões, que podem tem problemas pelo excesso de esforço dos atletas.

Além disso, ela aumenta da elasticidade da pele, melhorando a aparência após perda de peso ou hipertrofia.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Altas doses de proteínas podem gerar sobrecarga no funcionamento do fígado e dos rins. Pessoas com problemas nestes órgãos devem obter liberação médica para seu uso.

Colaboração: Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/gelatina.htm

Colágeno

Como é vendido: Em pó ou em cápsulas

Indicação:

O colágeno é importante para a saúde da pele, dos ossos, cartilagens e tendões no corpo humano, sendo essencial para as adaptações do corpo humano ao exercício. O colágeno representa quase um terço das proteínas do corpo humano.

O colágeno teoricamente evitaria a flacidez muscular.

Com a idade, o corpo passa a produzir menos colágeno, sendo sua suplementação ainda mais necessária.

O colágeno também pode ser quebrado para fornecer aminoácidos para a produção de outras proteínas.

Uso para prática de atividade física:

O colágeno faz parte da composição de cartilagens, ossos e tendões, que podem ter problemas pelo excesso de esforço de atletas, portanto sua suplementação pode auxiliar na recuperação dessas estruturas.

Além disso, ela aumenta da elasticidade da pele, melhorando a aparência após perda de peso ou hipertrofia.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Altas doses de aminoácidos podem gerar sobrecarga no funcionamento do fígado e dos rins. Pessoas com problemas nestes órgãos devem obter liberação médica para seu uso.

Colaboração: Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/colageno.htm

Vitaminas e minerais

Como é vendido: Geralmente estão disponíveis em cápsulas, mas podem ser associados a outros suplementos em diversas formas de apresentação.

Indicação:

Diversos minerais e vitaminas estão envolvidos no metabolismo humano, eles são necessários em pequenas doses diárias e não podem ser produzidos pelo corpo, necessitando de ingestão alimentar.

A vitamina E tem efeito antioxidante e ajuda a preservar as células do corpo inteiro dos problemas do envelhecimento, auxiliando a eliminação de toxinas das células e facilitando o fornecimento de energia para elas na forma de glicose.

O zinco está presente em doses muito pequenas no corpo humano e uma alimentação rica em fibras pode atrapalhar sua absorção. Ele é importante para a saúde da pele, unhas e cabelos, além de auxiliar diversos processos fisiológicos como síntese ou degradação de proteínas e ácidos nucléicos.

O magnésio é necessário ao corpo em doses muito pequenas. Ele é importante para o relaxamento muscular por ajudar a bloquear o efeito estimulante do cálcio. Ele está também muito relacionado com o sistema imunológico, pois exerce funções no desenvolvimento, distribuição e função das células imunes além de ser necessário para o funcionamento normal dos leucócitos, sendo importante para a resposta imunológica.

As vitaminas são essenciais para diversos processos biológicos. Em relação ao exercício, as vitaminas do complexo B, especialmente a B6 são associadas a suplementos energéticos e proteicos para atletas por auxiliarem o processo de regeneração muscular. A vitamina B6 atua no metabolismo das proteínas, transformando-as em aminoácidos para que possam ser utilizadas na síntese proteica. Ela atua em diversas funções corporais como o sistema imunológico e o equilíbrio de líquidos no corpo. Também está relacionada à síntese de uma série de neurotransmissores importantes para o metabolismo.

O cromo participa ativamente do metabolismo de carboidratos e do uso da glicose pelas células (auxiliando a ação da insulina). Depois de utilizado, o cromo não é reabsorvido pelos rins, sendo eliminado pela urina, em dias de prática de exercícios intensos a quantidade de cromo na urina é aumentada, sua necessidade de ingestão por atletas passa a ser mais alta também. O cromo também estimula a captação de aminoácidos pelas células e consequente síntese proteica.

Uso para prática de atividade física:

Para os atletas, a vitamina E preserva as células dos danos causados pelo exercício intenso e pelos metabólitos (restos) produzidos pelas células ao gerar energia para os exercícios intensos. Também ajuda no transporte de açúcares para dentro das células, ajudando a recuperar o corpo após os exercícios.

Por estar ligado à síntese de proteínas, o zinco é importante para aqueles que querem aumentar a massa magra corporal. O zinco também é um antioxidante que ajuda a metabolizar as toxinas produzidas pelo exercício. O exercício causa uma maior excreção de zinco, aumentando a necessidade da ingestão desse metal.

O exercício causa uma grande perda de micronutrientes, seja pelo suor ou pela urina. As baixas concentrações de Magnésio podem causar contrações musculares involuntárias, por não conseguir bloquear o efeito estimulante do cálcio nos músculos. A deficiência de magnésio pode ser um problema nas competições de longa duração.

As vitaminas em geral, em especial as do complexo B são importantes para os que buscam aumento de massa magra ou definição muscular. Por estar diretamente ligada ao metabolismo de proteínas, a suplementação de vitamina B6 é importante para os que querem aumentar a massa magra e para os que estão fazendo uma dieta com muitas proteínas ou suplementação delas, para facilitar a disponibilização dos aminoácidos das proteínas ingeridas.

Cromo auxilia a captação de glicose pela célula que está se contraindo, aumentando o fornecimento de energia para ela, que melhora a performance. Ele também atua na captação de aminoácidos, auxiliando a síntese proteica nos músculos, ajudando o aumento de massa magra.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Esses nutrientes são necessários em doses muito pequenas no corpo humano, seu excesso pode causar diversos efeitos adversos no corpo, inclusive deficiência em outros micronutrientes essenciais que competem com estes em sua absorção ou transporte sanguíneo (usam o mesmo mecanismo para absorção ou transporte, o excesso de um pode causar falta de absorção ou transporte do outro).

A suplementação com complexo B pode interferir com medicamentos para Doença de Parkinson. A superdosagem pode causar problemas de equilíbrio.

Altas doses de cromo podem ocasionar irritação cutânea

Para suplementação com vitamina E, pessoas em uso de anticoagulantes devem obter recomendações específicas do seu médico pois o excesso de vitamina E pode aumentar o efeito anticoagulante e promover sangramentos. O excesso de vitamina E pode ocasionar fadiga, fraqueza muscular, náusea e diarréia

Altas doses de zinco podem ocasionar diminuição do tamanho das células vermelhas do sangue e diminuição do número de células brancas do sangue.

O excesso desses micronutrientes deverá ser eliminado pelos rins, podendo sobrecarregar esse órgão, causando danos ao seu funcionamento.

Colaboração: Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/vitaminas-e-minerais.htm

Cafeína

Como é vendido: É encontrada em cápsulas, na forma líquida, pó ou em chás.

Indicação:

A cafeína é a droga mais consumida no mundo e é encontrada em uma grande quantidade de alimentos, como chocolate, café, guaraná, cola, cacau e chá-mate. É possível encontrá-la também em alguns analgésicos e inibidores de apetite. Quando utilizada para propósitos terapêuticos, ela é administrada via oral ou por meio de injeções intramusculares ou intravenosas. Doses terapêuticas de cafeína estimulam o coração aumentando a sua capacidade de trabalho, produzindo também dilatação dos vasos periféricos.

Entre o grupo das xantinas (que incluem a teofilina e a teobromina) a cafeína é a que mais atua sobre o sistema nervoso central. Atua ainda sobre o metabolismo basal e aumenta a produção de suco gástrico. Devido ao estímulo no sistema nervoso central, esta droga proporciona alguns efeitos como aumento da atenção mental, aumento da concentração, melhoria do humor, diminuição da fadiga.

Uso para prática de atividade física:

Suplementos de cafeína para atletas são destinado a aumentar a resistência aeróbia em exercícios físicos de longa duração. Os estudos sugerem que o uso da cafeína promove uma melhoria na eficiência metabólica dos sistemas energéticos durante o esforço contribuindo para um melhor desempenho físico.

Ela melhora o estado de alerta e o tempo de reação, é util principalmente em esportes onde o movimento rápido é necessário.

O suposto efeito diurético provocado pelo uso dessa substância, acarretando aumento no volume de urina e, portanto uma maior perda hídrica durante o esforço, não tem sido confirmado na prática. O comprometimento do estado de hidratação corporal parece estar relacionado somente ao emprego de mega-doses desta substância.

Como a tendência do organismo é se acostumar com a cafeína, diminuindo o seu efeito, o ideal é evitar o consumo contínuo desta substância, aproveitando ao máximo seus efeitos quando necessário.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Anvisa permite a suplementação de cafeína como alimento para atletas, sendo assim, não é recomendado para os que se exercitam por lazer ou estética, pois para estes casos, geralmente uma dieta balanceada é o suficiente. Este produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico (…).

Altas doses de cafeína podem gerar alterações no ritmo cardíaco, causar insônia e irritabilidade e prejudicar a deposição de cálcio nos ossos. Deve ser lembrado que altas doses de cafeína podem ser consideradas dopantes e atletas de competição podem ser punidos por seu uso, explica o médico Jomar Souza, especialista em medicina do exercício e do esporte.

Colaboração:
– Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME
– Suzana Esper

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/cafeina–alimento-para-atleta.htm

Taurina

Como é vendido: Disponível em cápsulas, líquido e em pó, geralmente associada a outros princípios ativos como a creatina.

Indicação:

A taurina é um dos aminoácidos mais abundantes no corpo e não participa da síntese de proteínas. Ela é responsável por uma série de funções biológicas e sua deficiência leva à uma fadiga precoce. A taurina ajuda a evitar o catabolismo (degradação) de proteínas, favorecendo o uso de gorduras como fonte de energia.

Além disso, ajuda na excreção de substâncias das células que não são mais importantes para o nosso organismo através do fígado e intensifica os efeitos da insulina.

Uso para prática de atividade física:

Pode ajudar a retardar a fadiga por aumentar o metabolismo, favorecendo ao uso de gorduras como energia.

Há indícios de que protege a musculatura do uso de proteínas como fonte de energia e especula-se que ela auxilia na remoção de substâncias tóxicas produzidas pelas células durante o exercícios e que se não eliminadas rapidamente causam fadiga e dor muscular. Por esses efeitos, ela contribui para a recuperação muscular em treinamentos com altas cargas.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Não há efeitos colaterais relatados nas doses recomendadas. Anvisa permite o uso de taurina como alimento para atletas, sendo assim, não é recomendada para os que se exercitam por lazer ou estética, pois para estes casos, geralmente uma dieta balanceada é o suficiente. Este produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico (…).

Altas doses de aminoácidos podem gerar sobrecarga no funcionamento do fígado e dos rins. Pessoas com problemas nestes órgãos devem obter liberação médica para seu uso.

Colaboração: Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/taurina.htm

Guaraná

Como é vendido: Em pó, líquido e cápsulas.

Indicação:

O guaraná é um alimento estimulante que possui altas doses de cafeína que estimula o sistema nervoso central. Melhora a atenção e concentração, além de aumentar o metabolismo basal, melhorar o humor e diminuir a fadiga.

Uso para prática de atividade física:

O guaraná pode aumentar a resistência aeróbia em exercícios físicos de longa duração por ter cafeína. Pode também promover uma melhoria na eficiência metabólica dos sistemas energéticos durante o esforço contribuindo para um melhor desempenho físico.

Considerando os altos índices de cafeína presente no guaraná, ele melhora o estado de alerta e o tempo de reação principalmente em esportes onde o movimento rápido é necessário.

Como acontece com a cafeína, o consumo constante do guaraná diminui seus efeitos. Para poder desfrutar melhor dos efeitos do guaraná quando necessários, o ideal é evitar o consumo da substância quando não há necessidade.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Altas doses de cafeína podem gerar alterações no ritmo cardíaco, causar insônia e irritabilidade e prejudicar a deposição de cálcio nos ossos. Além disso, a cafeína em doses altas pode ser considerada dopante e atletas de competição podem ser punidos por seu uso.

Colaboração: Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/guarana.htm

Ginseng

Como é vendido: Vendido em comprimidos, cápsulas, pó, chá ou planta desidratada. Pode ser encontrado nas denominações: Panax Ginseng, Ginseng Asiático, ou Ginseng Oriental

Indicação:

É um estimulante natural utilizado há milhares de anos para incrementar a longevidade e a qualidade de vida. A parte medicinal da planta é a sua raiz, de crescimento lento, colhida após quatro a seis anos, quando seu teor de ginsenosídeo (ingrediente ativo principal) está mais alto. Existem treze ginsenosídeos ao todo, o Panax ginseng contém também panaxos, substância que podem reduzir os níveis de açúcar no sangue (glicose) e polissacarídeos, moléculas complexas de açúcar que fortalecem o sistema imunológico.

O Ginseng Branco consiste simplesmente na raiz desidratada, enquanto o Ginseng Vermelho consiste na raiz aquecida no vapor e desidratada.
Embora ainda não se conheça o mecanismo de ação do ginseng ele se torna útil também para tratamento da impotência sexual, pois estudos em animais indicam que o ginseng aumenta os níveis de testosterona e a produção de espermatozóide.

Uso para prática de atividade física:

Muitos praticantes de atividade física utilizam o ativo visando o aumento da resistência física. Os especialistas acreditam que o ginseng tem capacidade de retardar a fadiga física e mental, pois permite que os músculos exercitados usem energia de forma mais eficiente.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Pode causar Insônia e alterações do ritmo cardíaco.

Colaboração:
– Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME ” 

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/ginseng—suplemento-nutricional.htm

Quitina / Quitosana

Como é vendido: Vendida nas versões em cápsulas ou pó.

Indicação:

Estudos recentes demonstram que uma vez ingerida, a Quitosana é solubilizada no estômago, formando um gel quimicamente ativo. Este gel, eletrostaticamente carregado, tem a propriedade de atrair e se ligar à gordura ingerida na alimentação, formando um complexo Quitosana-gordura, que evita a ação das lípases (enzimas que metabolizam os lipídios), ou seja: impedem a absorção pelo organismo.

É uma fibra natural, derivada da quitina, polímero abundante na natureza que só perde em quantidade para a celulose. A quitina é um componente estrutural das carapaças de crustáceos (notadamente camarão, lagosta e caranguejo). A quitosana, produzida a partir da quitina, passa a ser uma das poucas fibras naturais solúveis em meio ácidos, como por exemplo, suco de limão, vinagre ou no nosso suco gástrico, onde o pH é ácido.

Segundo a Anvisa, a quitosana auxilia na redução da absorção de gordura e colesterol, desde que a porção de suplemento sólido tenha pelo menos três gramas de quitosana ou, um grama e meio se o suplemento for líquido. Seu consumo deve estar associado a uma alimentação equilibrada e hábitos de vida saudáveis.

Além disso, tem a capacidade de se ligar aos ácidos biliares do sistema digestivo, excretando-os nas fezes. Quando a Quitosana se liga aos ácidos biliares em excesso, exerce um duplo efeito benéfico: evita a presença excessiva desses ácidos livres no intestino, que pode causar câncer, e, simultaneamente, ativa o fígado para produzir mais ácidos biliares, que utilizam o mau colesterol (LDL) em sua composição.

Uso para prática de atividade física:

Em combinação com o exercício, a quitosana pode auxiliar o emagrecimento pois diminui a absorção de gorduras da alimentação, enquanto o exercício utiliza as gorduras armazenadas no tecido adiposo como energia.

Mas o efeito da quitosana no emagrecimento não é confirmado por pesquisas.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Pessoas alérgicas a peixes e crustáceos devem evitar o consumo deste produto e o consumo deve ser acompanhado de líquidos. Ela pode causar reações alérgicas, indo desde alterações de pele até o choque anafilático

Colaboração:
– Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/quitinaquitosana—suplemento-nutricional.htm

Maltodextrina

Como é vendido: Disponível em pó.

Indicação:

A maltodextrina é um carboidrato complexo de absorção gradativa pelo corpo, por isso ela é útil para manter a energia durante atividades de média duração, já que vai ser liberada aos poucos para o organismo.

Os carboidratos são as principais fontes de energia do nosso organismo, além de serem as de recrutamento mais rápido. O carboidrato corresponde à maior parte das calorias ingeridas pelo ser humano. Numa dieta saudável, o carboidrato deve ser em torno de 60% das calorias ingeridas no dia para que as proteínas não tenham que desviar-se de suas funções específicas, como construção dos tecidos musculares, para obtenção de energia.

Uso para prática de atividade física:

Indicada para atletas, a maltodextrina fornece energia para as atividades e para a recuperação muscular pós exercício, permitindo que as proteínas e aminoácidos sejam recrutados para a formação de massa muscular e não sejam usadas como energia.

Ela deve ser consumida pelo menos uma hora antes do exercício e/ou no máximo uma hora depois. Segundo Jomar Souza*, se consumida pouco antes do exercício, não será absorvida de maneira adequada. Se muito tempo depois não reporá os estoques de carboidratos do músculo em tempo de prevenir a perda de massa muscular.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Não há efeitos colaterais relatados nas doses recomendadas. Anvisa permite o uso de maltodextrina como repositor energético para atletas, sendo assim, não é recomendada para os que se exercitam por lazer ou estética, pois para estes casos, geralmente uma dieta balanceada é o suficiente. Este produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico (…).

Se consumida em excesso, pode haver um aumento muito grande na produção de insulina ocasionando um quadro de hipoglicemia como efeito rebote. Em doses muito altas, os carboidratos podem causar diarréia, náuseas, vômitos. Diabéticos devem ser orientados por seus médicos antes de consumir esse tipo de alimento.

Quando esse suplemento não é necessário ele pode causar ganho de gordura, pois é uma fonte de calorias que, quando não são utilizadas vão ser armazenadas no tecido adiposo. 

*Colaboração: Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/maltodextrina.htm

Carboidratos em gel

Como é vendido: Disponível em sachês de gel.

Indicação:

Os carboidratos em gel podem ser de carboidratos simples ou de combinação de carboidratos simples com complexos, além de haver disponibilidade de alguns sachês com aminoácidos e vitaminas em conjunto com o carboidrato.

A principal função desses carboidratos é fornecer energia rápida e fácil de carregar, especialmente para os praticantes de exercícios ao ar livre.

Uso para prática de atividade física:

Nosso corpo necessita de energia para praticar exercícios e se recuperar após os mesmos. Os carboidratos são a fonte mais rápida de energia no corpo e, em quantidade correta eles auxiliam a recuperação do organismo, evitando que as proteínas sejam desviadas de sua função de formação de músculos para fornecer energia.

Contraindicações e efeitos colaterais:

A Anvisa registra esse tipo de produto como alimento para atletas, não sendo recomendado para os que se exercitam por lazer ou estética. Este produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico (…). O uso desnecessário de carboidratos em gel, sem a devida necessidade energética pode engordar, pois estes são calóricos.

Pode haver um aumento muito grande na produção de insulina ocasionando um quadro de hipoglicemia como efeito rebote. Em doses muito altas, os carboidratos podem causar diarréia, náuseas, vômitos. Diabéticos devem ser orientados por seus médicos antes de consumir esse tipo de alimento.

Colaboração: Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/carboidratos-em-gel.htm

Hipercalóricos

Como é vendido: Disponíveis em barras e pó.

Indicação:

Os hipercalóricos geralmente são combinações de proteínas e aminoácidos com carboidratos (simples, complexos ou mistura de ambos). Eles buscam fornecer altas doses de energia na forma de carboidratos e altas doses de proteínas para construção muscular para aqueles que treinam hipertrofia e pretendem ter um alto ganho de massa muscular. 

Uso para prática de atividade física:

As proteínas presentes nesses suplementos hipercalóricos são destinadas ao aumento da musculatura, para isso, o suplemento fornece energia através de carboidratos simples e complexos, para que o corpo não necessite das proteínas como fonte de energia. Este tipo de suplemento geralmente também fornece vitaminas e minerais necessários para o metabolismo de proteínas e carboidratos, além dos que são perdidos nos exercícios.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Anvisa permite o uso de hipercalóricos como alimento para atletas, sendo assim, não é recomendado para os que se exercitam por lazer ou estética, pois para estes casos, geralmente uma dieta balanceada é o suficiente. Este produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico (…).

Por terem muitas calorias, só devem ser consumidos por aqueles que praticam exercícios intensos e buscam um grande ganho de massa, aqueles que querem perder peso devem evitar esse tipo de suplemento.

Altas doses de aminoácidos provenientes das proteínas ingeridas podem gerar sobrecarga no funcionamento do fígado e dos rins. Pessoas com problemas nestes órgãos devem obter liberação médica para seu uso.

O carboidrato, se consumido em excesso, pode causar um aumento muito grande na produção de insulina ocasionando um quadro e hipoglicemia como efeito rebote. Em doses muito altas, os carboidratos podem causar diarréia, náuseas, vômitos. Diabéticos devem ser orientados por seus médicos antes de consumir esse tipo de alimento.

Colaboração: Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/hipercaloricos.htm

Packs

Como é vendido: O packs são vendidos geralmente na forma de comprimidos que devem ser ingeridos em conjunto.

Indicação:

Os packs tem diversas funções e são combinações dos mais variados tipos de suplementos. Para saber ser o pack é exatamente o que você quer, avalie cada componente dele e suas funções para entender os efeitos do pack todo para o corpo. É importante ficar atento à formulação do pack, todos os itens devem vir especificados na embalagem.

Geralmente eles tem proteínas, aminoácidos, carboidratos e vitaminas associados ao metabolismo muscular.

Uso para prática de atividade física:

Os packs geralmente são combinações de proteínas, carboidratos e vitaminas para aqueles que desejam aumentar a massa muscular com treinamento de hipertrofia com pesos. Sua função seria fornecer proteínas para a formação de musculatura, carboidratos para fornecer energia, evitando que proteínas sejam desviadas para essa função e vitaminas e minerais que são necessários para o bom funcionamento e hipertofia muscular. Por não serem individualizados, não vão ter o mesmo resultado para cada pessoa.

Contraindicações e efeitos colaterais:

No rótulo dos packs deve sempre conter a lista de ingredientes de cada produto. É importante lembrar que cada item do pack deve ser avaliado quando a sua segurança e eficácia. O ideal é consultar um nutricionista e solicitar que este indique os suplementos necessários levando em conta sua dieta e sua rotina de exercícios e comprar um a um, tendo certeza de precisar de tudo que está ingerindo.

A Anvisa registra esse tipo de produto como alimento para atletas, não sendo recomendado para os que se exercitam por lazer ou estética. Este produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico (…).

Altas doses de aminoácidos provenientes das proteínas ingeridas podem gerar sobrecarga no funcionamento do fígado e dos rins. Pessoas com problemas nestes órgãos devem obter liberação médica para seu uso.

O carboidrato, se consumido em excesso, pode causar um aumento muito grande na produção de insulina ocasionando um quadro e hipoglicemia como efeito rebote. Em doses muito altas, os carboidratos podem causar diarréia, náuseas, vômitos. Diabéticos devem ser orientados por seus médicos antes de consumir esse tipo de alimento.

Colaboração: Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/packs.htm

Proteína com carboidrato

Como é vendido: Disponível em pó, gel e barra.

Indicação:

A combinação de carboidratos com proteínas tem se mostrado eficiente na manutenção da energia e do substrato para a recuperação muscular. O efeito é o mesmo do esperado pela combinação das duas suplementações. Indicado para os que querem ganhar massa, mas não precisam ou querem emagrecer, pois o suplemento é calórico.

Uso para prática de atividade física:

Este suplemento auxilia a formação de massa muscular fornecendo energia para o exercício e posterior recuperação muscular através do carboidrato. As proteínas então podem exercer sua função de construção muscular sem serem quebradas para a produção de energia. É um alimento calórico recomendado para aqueles que querem ganhar massa muscular, mas não desejam emagrecer.

Contraindicações e efeitos colaterais:

Anvisa permite o uso como alimento para atletas, sendo assim, não é recomendado para os que se exercitam por lazer ou estética, pois para estes casos, geralmente uma dieta balanceada é o suficiente. Este produto não substitui uma alimentação equilibrada e seu consumo deve ser orientado por nutricionista ou médico (…).

Por ser um alimento calórico, se consumido em exagero ou sem a realização de exercícios pode contribuir para um ganho de peso e aumento na porcentagem de gordura corporal.

Altas doses de aminoácidos provenientes das proteínas ingeridas podem gerar sobrecarga no funcionamento do fígado e dos rins. Pessoas com problemas nestes órgãos devem obter liberação médica para seu uso.

O carboidrato, se consumido em excesso, pode causar um aumento muito grande na produção de insulina ocasionando um quadro e hipoglicemia como efeito rebote. Em doses muito altas, os carboidratos podem causar diarréia, náuseas, vômitos. Diabéticos devem ser orientados por seus médicos antes de consumir esse tipo de alimento.

Colaboração: Jomar Souza, médico especialista em medicina do exercício e do esporte e diretor da Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte – SBME

Fonte: http://boaforma.uol.com.br/suplementos/proteina-com-carboidrato.htm

Fitoterápico

O principal problema dos suplementos naturais para emagrecer é que não existem estudos que comprovem a eficácia e segurança da maioria deles. Por isto, o indicado é sempre consultar um médico ou um nutricionista para que ele indique os insumos mais indicados para cada caso.

Confira abaixo os fitoterápicos para emagrecer de acordo com sua classificação.

Suplementos alimentares que dizem ter propriedades emagrecedoras

suplemento efeito
Extrato de proteína de batata (Slendesta) Parece ter efeitos no aumento da saciedade, ajudando assim a controlar a quantidade de alimentos ingeridos. Esta proteína estimula a secreção de um hormônio chamado colecistocinina (CCK), relacionado a mecanismos reguladores da ansiedade e do apetite. A Anvisa proibiu produtos com extrato de proteína de batata de fazerem propaganda, pois nenhum fitoterápico com esse princípio ativo é registrado na agência.
Camellia sinensis É o chá verde/branco. Potente antioxidante. São muitos os estudos com esta erva, e alguns deles usaram grandes quantidades de chá (cerca de 2 litros/dia). Os resultados demonstraram que o consumo aumenta o gasto energético e a quebra da gordura, promovendo perda de peso corporal. Porém, alguns estudos com extrato de chá verde demonstraram que ele pode causar toxicidade hepática, especialmente quando utilizado em altas doses. Observações clínicas evidenciam perda de apenas 2 a 5% do peso corporal. Este chá é autorizado pela Anvisa como alimento, não como coadjuvante de emagrecimento.
Agar Agar (Cyamopsis tetragonolobus) e pyssilium (Plantago psyllium) São fibras solúveis que absorvem água, aumentando a saciedade e consequentemente causam menor ingestão alimentar. São bem toleradas e ajudam também no controle de colesterol e da glicose sanguínea. Aumentam o bolo fecal e estimulam o funcionamento dos intestinos. A venda é autorizada pela Anvisa, mas para venda como emagrecedor é necessário comprovar sua eficácia, por isso é utilizado como um aditivo de alimentos industrializados

Não existem estudos científicos que comprovem a eficácia dos fitoterápicos abaixo, além da dosagem, interações com outros medicamentos e nutrientes, além de eventuais efeitos colaterais e contraindicações

Insumos fitoterápicos que acredita-se poderem auxiliar o emagrecimento

Fitoterápico Efeito
Garcinia cambogia Nativa da Ásia, Austrália, África do Sul e Polinésia, esta erva é conhecida pelos seus efeitos anti-inflamatórios. Parece também ajudar no processo de perda de peso, via seu princípio ativo, o ácido hidroxicítrico (HCA), que inibe o apetite em geral e também por doces, além da produção de gordura pelo organismo. Os estudos publicados não conseguiram comprovar o potencial para a perda de peso. O consumo em excesso ainda pode causar diarreia, cólica, náusea e vômito.
Centella asiática ou Centelha asiática Esse fitoterápico melhora a circulação e é vasodilatador, ele é utilizado em pessoas com problemas circulatórios. Acredita-se que o efeito do produto no sistema circulatório pode ajudar a prevenir e tratar celulites e gorduras localizadas. É um fitoterápico classificado como um produto com ação sobre o aparelho cardiovascular pela Anvisa, apenas para isso a Agência emitiu seu registro, deve ser consumido sob recomendação médica.
Pholiamagra Nome científico Cordia ecalyculata vell ou Cordia salicifolia, também conhecida como Porangaba. Erva usada pelas tribos indígenas do Brasil para tratar diversas condições, desde mordidas de cobras, até perda de peso e controle da fome. A proposta é suprimir o apetite, estimular e queimar gordura localizada, potencializar o sistema imunológico. Tem ação diurética e estimulante. Não existe nenhum estudo clínico sobre a planta. A Pholiamagra é um insumo fitoterápico. Não se trata de um produto acabado ou medicamento registrado na Anvisa, não há nenhum produto na agência registrado com esse insumo.

Esses ingredientes são classificados pela Anvisa como alimentos ou novos alimentos. Os novos alimentos são os alimentos sem tradição de consumo no país ou que já sejam consumidos, mas passam a ser utilizados em níveis muito superiores aos atualmente observados nos alimentos que compõem uma dieta regular. Além disso, são considerados novos alimentos aqueles que passam a ser apresentados nas formas de cápsulas, comprimidos, tabletes e outros similares. Mas a Anvisa alerta que os produtos com finalidade ou indicação medicamentosa e ou terapêutica não podem ser considerados alimentos ou novos alimentos.

Alimentos que prometem algum efeito no emagrecimento

Alimento Efeito
Óleo de Palma (conhecido como azeite de dendê) O óleo é extraído do fruto da palma. O uso para perda de peso surgiu após um estudo canadense de 2003. Os pesquisadores associaram óleos de palma, coco, azeitonas e linho. A perda de peso foi verificada somente nos homens que participaram da pesquisa, correspondendo a meio quilo no período de 27 dias. Para as mulheres não houve nenhum benefício registrado, portanto, não existem estudos suficientes para recomendar o uso de óleo de palma como coadjuvante do emagrecimento. É registrado na Anvisa como óleo de uso culinário, sem referência aos efeitos emagrecedores.
Linobio (óleo de linhaça e óleo de Gergelim) O produto feito com a combinação destes óleos ou o uso dos óleos individualmente tem sido indicado para acelerar o metabolismo e como fonte de ômega 3 e 6, além de ter propriedades antioxidantes. Se consumidos nas quantidades indicadas, possuem poucos efeitos colaterais, a não ser uma maior atividade intestinal. Esses óleos são considerados novos alimentos pela Anvisa (inclusive o produto Linobio é inscrito na agência com a classificação de novos alimentos e novos ingredientes), não podendo então fazer propaganda de qualquer propriedade emagrecedora ou terapêutica.

Esses compostos são minerais que circulam normalmente no sangue e suas fontes são as frutas, verduras e legumes consumidas diariamente. Se não estiver em falta, há risco na suplementação.

Minerais que interferem no emagrecimento

Mineral Efeito
Cromo Relaciona-se ao metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas, e esse seria o mecanismo de ação no processo de perda de peso corporal. Utilizado com o objetivo de melhorar a massa muscular e o rendimento do treinamentos. Estudos clínicos não conseguiram comprovar esses benefícios. E seu excesso pode causar lesões renais e hepáticas.
Selênio A ingestão adequada de selênio é muito importante para o bom funcionamento de várias funções do organismo (tireoide, sistema imunológico, fertilidade masculina, entre outras). No entanto, vários suplementos contêm doses altíssimas do nutriente, o que não é desejável, pois pode levar à fadiga, irritabilidade, queda de cabelo, dermatite, vômitos, bem como pode aumentar o risco de desenvolver diabetes. Porém, adequados níveis no organismo contribui para a manutenção de um peso saudável.
Magnésio Propõe-se a controlar a vontade de comer doces e carboidratos, diminuir edemas e o estresse, além de melhorar a disposição física e o desempenho na prática esportiva. O excesso de magnésio pode levar a problemas de pressão e respiração, alterações do ritmo do coração, inibição da calcificação óssea. Estudos com atletas, principalmente mulheres, demonstraram que muitos apresentam baixos níveis sanguíneos deste mineral, e a suplementação melhora o desempenho e espasmos musculares. Para os indivíduos sedentários ou atletas de recreação, sem sinais de deficiência deste mineral, não parece ajudar na perda de peso.

Proibida pela Anvisa:

Muito falada na mídia atualmente, a Caralluma Fimbriata (cactus comestível) foi proibida pela Anvisa  e qualquer produto que utilize esse insumo está proibido, quer seja industrializado ou manipulado.

Como nenhum produto que contenha Caralluma fimbriata encontra-se regularizado no país, tendo em vista que não há qualquer comprovação perante a Anvisa em relação à sua segurança e eficácia, a suspensão da importação, da fabricação, da distribuição, da manipulação, do comércio e do uso estabelecida pela Resolução – RE n- 5.915/2010 é válida tanta para o insumo quanto para todos os produtos que o contenham na sua composição.

Alguns fitoterápicos que se diziam feitos de caralluma continham também Cloridrato de Sibutramina, medicamento controlado e que traz riscos à saúde. Esse tipo de fraude pode acontecer em fitoterápicos, quando substâncias danosas ao organismo mostrando que é preciso prestar muita atenção no produto a ser consumido para evitar grandes problemas de saúde.

A Caralluma é uma espécie de cacto usado por tribos indianas para reduzir a fome e aumentar a resistência.  A proposta é regular os níveis de glicose, bloquear a formação de gordura, modular o apetite, induzir sensação de saciedade, além de dar mais energia. Existem poucos estudos na literatura científica que demonstram potencial supressão de apetite, o que não influi na diminuição do peso.

Recente pesquisa brasileira mostrou que ela não promove redução significativa de peso, nem mesmo da circunferência abdominal. Embora ainda sejam escassas informações sobre reações ou contra indicações, ela pode causar acidez gástrica, flatulência e constipação. A anvisa aguarda mais estudos sobre segurança e eficiência do produto para ver se é possível registrar algum produto com esse princípio ativo para a venda no Brasil.

Fonte: http://noticias.uol.com.br/ciencia/ultimas-noticias/redacao/2011/05/13/conheca-os-fitoterapicos-para-emagrecer-vendidos-atualmente-no-brasil.htm

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s