Arquivo de fevereiro, 2015

(…)

Segundo o nutricionista Israel Adolfo, de São Paulo, essa farinha é rica em amido resistente, um nutriente que não é digerido no estômago, e sim no intestino delgado – e é nesse processo que reside boa parte dos benefícios desse produto. “Na banana verde encontramos de 55 a 93% de amido resistente entre o total de amidos da fruta, já o processo de amadurecimento faz com que ele seja convertido em açúcares, perdendo sua eficácia”, diz. Para fazer a farinha, basta cortar a banana verde em rodelas finas e levar ao forno por volta de 30 minutos. Depois de secas, bata as rodelas no liquidificador. A quantidade de consumo recomendada é cerca de duas colheres por dia e você pode acrescentá-la a frutas, sucos ou iogurtes. Conheça os benefícios da farinha de banana verde para a saúde e a dieta:

Controla e previne o diabetes

De acordo com o nutricionista Israel Adolfo, de São Paulo, a farinha de banana verde é uma aliada para pessoas com diabetes por ser um alimento de baixo índice glicêmico. “Isso significa que a quantidade de glicose que esse alimento libera no sangue ao ser digerido ocorre de forma lenta e gradual, mantendo os níveis de glicose no sangue controlados“, explica. Por conta disso, o organismo preciso liberar uma quantidade menor de insulina para que a glicose seja corretamente absorvida pelas células, contribuindo para a prevenção do diabetes e ajudando no controle de quem já possui.

Melhora o trânsito intestinal

Pelo fato de ser digerida apenas no intestino delgado, o amido resistente da farinha é suscetível à fermentação pelas bactérias do colón. “Esta fermentação resulta na formação de ácidos graxos de cadeia curta (AGCC), que possuem um papel muito importante na nutrição das células intestinais“, afirma o nutricionista Israel. Dessa forma, a farinha de banana verde estimula o desenvolvimento da flora intestinal, melhorando o seu funcionamento, ajudando na digestão e prevenindo problemas como prisão de ventre.

Ajuda a evitar câncer de intestino

O amido resistente presente na farinha de banana verde é digerido pelo nosso corpo como uma fibra insolúvel, e como tal auxilia no trânsito intestinal. “Ao melhorar o funcionamento do intestino, também atuamos no tratamento e prevenção de quadros como diarreia e constipação, além de prevenir o desenvolvimento de doenças como o câncer de intestino”, afirma o nutricionista Israel.

Dá saciedade

“Por atuar como uma fibra, o amido resistente atrasa o tempo de absorção dos nutrientes pelas células intestinais, o que traz uma maior sensação de saciedade”, explica o nutricionista Ricardo Zanuto, de São Paulo. Para quem está de dieta, a farinha de banana pode ser uma aliada, já que essa saciedade adia a fome e evita os lanches fora de hora.

Fortalece a imunidade

Pouca gente sabe, mas uma flora intestinal funcionando tem um importante papel na prevenção de doenças. De acordo com a nutricionista Cristina Grandjean, do Spa Fazenda Igaratá, em São Paulo, ao estimular o crescimento da flora intestinal benéfica, você intensifica sua capacidade de combater bactérias que entram em nosso organismo por meio da alimentação. “O amido resistente serve como alimento para as bactérias do intestino, que dessa forma se reproduzem com mais facilidade e ajudam a estimular o sistema imunológico.”

Reduz os níveis de colesterol

Para entender o mecanismo de ação da farinha de banana verde na redução do colesterol, primeiro é preciso saber que muito do colesterol presente em nosso corpo é produzido pelo próprio fígado, para ajudar na digestão de gorduras. “Depois de ser usado na digestão dos alimentos, ele volta para o fígado, onde deve ser reabsorvido para produzir uma nova bile”, explica o nutricionista Israel. Se a flora intestinal não estiver funcionando como deveria, o colesterol não é absorvido e vai para a corrente sanguínea, elevando os níveis da substância no sangue. “A farinha de banana verde reduz a produção de colesterol pelo fígado e ainda auxilia na sua eliminação, impedindo que ele se acumule no sangue, diminuindo o risco de doenças cardiovasculares.”

Alivia os sintomas da TPM

A banana é rica em vitamina B6 e triptofano, substâncias necessárias na síntese de serotonina, um neurotransmissor que promove sensação de bem-estar. “Por conta disso e do seu teor de fibras, a farinha de banana melhora o humor e ajuda a diminuir ou até eliminar o inchaço e as cólicas”, explica a nutricionista Cristina.

Ajuda na prevenção da osteoporose

O amido resistente da farinha diminui o pH intestinal quando digerido, favorecendo a absorção de alguns nutrientes, entre eles o cálcio. “Se aliarmos o consumo adequado de fibras e cálcio, facilitaremos a absorção desse nutriente, contribuindo para a prevenção da osteoporose”, diz o nutricionista Israel. “Além disso, a banana é rica em fósforo, um mineral importante para a formação da matriz óssea que, consequentemente, auxilia no fortalecimento dos ossos“, completa Ricardo Zanuto.

Fonte: Informação retirada do Portal minhavida no dia 20 de fevereiro de 2015:

http://yahoo.minhavida.com.br/alimentacao/galerias/15976-sete-beneficios-da-farinha-de-banana-verde-para-a-saude

Suco Verde

Publicado: fevereiro 19, 2015 em Bebidas, Receitas

O suco verde de Carol é feito com gengibre, que tem efeito termogênico / Crédito: Reprodução

(…)

Além de ser nutritivo, o suco verde diminui a retenção de líquidos, desincha o corpo, oferece mais energia, elimina as toxinas do organismo e ajuda a emagrecer.

Bater no liquidificador ou centrífuga:

  • 1 copo de água de coco
  • 1 maçã verde
  • ½ limão espremido
  • 1 pedaço de gengibre
  • 1 folha de couve

Fonte: Receita retirada do Portal bolsademulher no dia 19 de fevereiro de 2015:

http://www.bolsademulher.com/corpo/3-receitas-de-sucos-detox-de-carol-magalhaes/

Suco Rosa

Publicado: fevereiro 19, 2015 em Bebidas, Receitas

O suco rosa melhora o desempenho durante a atividade física / Crédito: Reprodução

(…)

O suco rosa, preparado com beterraba, melhora o desempenho físico e facilita a recuperação dos músculos sendo grande aliado para antes e depois do treino.

Bater no liquidificador ou centrífuga:

  • 1 copo de água de coco
  • 1 pitaya roxa
  • ½ beterraba
  • 1 talo de salsão
  • 1 pedaço de gengibre
  • ½ limão espremido

(…)

Fonte: Receita retirada do Portal bolsademulher no dia 19 de fevereiro de 2015:

http://www.bolsademulher.com/corpo/3-receitas-de-sucos-detox-de-carol-magalhaes/

O mel (…) conta com ação antimicrobiana, capaz de impedir o crescimento ou destruir micro-organismos e assim proteger contra doenças.

O mel também conta com ação antioxidante e prebiótica, esta última modifica o balanço da microbiana intestinal, estimulando o crescimento e/ou atividade de micro-organismos benéficos. Por ser rico em carboidratos e açúcar o mel é ótima fonte de energia. 

O alimento também conta com potássio, magnésio, sódio, cálcio, fósforo, ferro, manganês, cobalto, cobre e alguns outros minerais. Entre estes nutrientes, o potássio é o que está mais presente no mel e é interessante para o equilíbrio da pressão arterial.

Os tipos de mel

O sabor, aroma e cor do mel irão variar de acordo com as floradas, definidas a partir do tipo de flor que a abelha coleta o néctar para produzir este doce. Alguns benefícios do mel podem ser mais fortes em determinados tipos do que em outros. Confira os principais tipos de mel consumidos no Brasil:

Mel silvestre: Este é o mais ingerido no Brasil e é proveniente de diversas flores. É considerado interessante para a pele, vias respiratórias, tem efeito antioxidante e propriedades calmantes. 

Mel de flor de eucalipto: Possui um sabor mais forte e coloração escura. É interessante para o tratamento auxiliar e alivio de infecções intestinais, vias urinárias e doenças respiratórias. 

Mel de assa-peixe: Possui aroma e sabor agradáveis e possui efeito calmante e expectorante. 

Mel de flor de laranjeira: Conta com sabor suave e regula a função intestinal e tem efeito calmante.   

Mel de cipó-uva: possui ação antioxidante, especialmente no fígado, por isso pode ajudar a diminuir os efeitos do álcool. 

Principais nutrientes do mel

O mel conta com boas quantidades de açúcar e carboidratos e por isso ele é uma ótima fonte rápida de energia. Ele também possui alguns ácidos orgânicos, sendo que um deles, o ácido glucônico, contribui para a formação do peróxido de hidrogênio, um poderoso antibactericida. O ferro e o cobre presentes no mel contribuem para a ação antimicrobiana. 

O ácido glucônico também tem forte ação antioxidante. O mel ainda conta com grande número de compostos que proporcionam este mesmo benefício. Os ácidos fenólicos, os flavonoides, certas enzimas, como a glicose oxidase, catalase e peroxidase, ácido ascórbico, hidroximetilfurfuraldeído e carotenoides. Todas as substâncias contribuem para combater os danos causados por agentes oxidantes, presentes nos alimentos e no corpo humano, e assim prevenir o envelhecimento e doenças como o Alzheimer, cardiovasculares, entre outras.  

O mel conta com carboidratos não digeríveis e oligossacarídeos que são prebióticos. Isto significa que eles contribuem para a manutenção da microbiota intestinal e assim estimulam o trânsito intestinal, cooperam com a consistência normal das fezes, previnem diarreia e constipação. 

Este adoçante natural possui potássio, interessante para o equilíbrio da pressão arterial, cálcio, importante para a saúde dos ossos, ferro, necessário para a prevenção da anemia, e outros minerais. 

Nutrientes Mel – 25 gramas
Calorias 77.25 kcal
Carboidratos 21 g
Cálcio 2.5 mg
Magnésio 1.5 mg
Ferro 0.075 mg
Potássio 24.75 mg
Fósforo 1 mg

Fonte: Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos / Taco – versão 2, UNICAMP

Confira qual a porcentagem do Valor Diário* de alguns nutrientes que a porção recomendada, 25 gramas (uma colher de sopa), de mel carrega:

  • 7% de carboidratos
  • 0,5% de ferro
  • 0,25% de cálcio.

Benefícios do mel

Bom para dor de garganta: Sua avó estava certa! Como o mel possui ação antimicrobiana, capaz de impedir o crescimento ou destruir micro-organismos, ele é interessante para aliviar a dor de garganta momentaneamente. Mas é importante ressaltar que não há nenhum estudo científico comprovando que o mel trate as causas desse sintoma, como uma faringite por exemplo, e nem a evolução da doença relacionada a uma dor de garganta.

As característica do mel que fazem com que ele tenha esta ação antibiótica são: o baixo ph, proporcionando um ambiente ácido que pode inibir o desenvolvimento de muito micro-organismos, pouca quantidade de água, que não proporciona condições favoráveis para o crescimento das bactérias. Além disso, o mel possui o ácido glucônico que contribui para a formação do peróxido de hidrogênio, um poderoso antibactericida.

Bom para problemas respiratórios: Pesquisas mostraram que bactérias causadoras de algumas doenças são sensíveis a ação antibacteriana do mel. Entre esses micro-organismos estão a Haemophilus influenzae, responsável por infecções respiratória e sinusites, Mycobacterium tuberculosis, que leva a tuberculose, Klebsiella pneumoniae e Streptococcus pneumoniae, que causa a pneumonia. Nesse caso, vale a mesma ressalva em relação à dor de garganta. O mel pode ajudar aliviando os sintomas e o desconforto, mas não promove a cura da doença em si. O tratamento dessas doenças, portanto, deve ser indicado por um especialista.

Bom para o intestino: O mel pode ser um importante aliado na manutenção da microbiota intestinal (conhecida como flora intestinal), que são bactérias benéficas que carregamos ali. Contribuindo assim para um melhor trânsito intestinal, a consistência normal das fezes, prevenção de diarreia e constipação.

Com a microbiota boa, quando a pessoa consumir fibras as bactérias do bem transformam as fibras em ácidos graxos de cadeia curta, que impedem que os micro-organismos ruins do intestino invadam a corrente sanguínea e se espalhem pelo nosso corpo, criando uma defesa indireta.

Todos estes benefícios ocorrem porque o mel possui carboidratos não digeríveis e oligossacarídeos que são prebióticos, ou seja, contribuem para a manutenção da microbiota intestinal. Além disso, pesquisas mostraram que bactérias causadoras de algumas doenças são sensíveis a ação antibacteriana do mel. Entre esses microrganismos estão: Escherichia coli, causadora de diarreia e infecções urinárias e Salmonella species, que pode levar a diarreia.

Bom para pele: O mel é rico em antioxidantes, como ácidos fenólicos, os flavonoides e os carotenoides. Por isso, o alimento contribui para a diminuição dos radicais livres e assim previne o envelhecimento precoce e contribui para a pele mais bonita e saudável. O mel pode ser ingerido ou utilizado em cosméticos como sabonetes e cremes.

Ao ser passado na pele algumas pesquisas, entre elas uma da Universidade de Ouagadougou de Burkina Faso, observaram que o mel pode agir como cicatrizante de feridas e em casos de úlceras, queimaduras e abscessos na pele. Os micro-organismo staphylococcus aureus e salmonela typhimurium, ambos causadores de infecções em ferimentos, são sensíveis a ação antibacteriana do mel.

Ação antioxidante: Isto faz com que o mel ajude a diminuir os radicais livres e assim contribua para evitar o envelhecimento celular, proporcionando uma pele mais bonita e saudável e prevenindo doenças como o Alzheimer, cardiovasculares, entres outras.

As substâncias presentes no alimento que proporcionam este benefício são: ácido glucônico, os ácidos fenólicos, os flavonoides, certas enzimas, como a glicose oxidase, catalase e peroxidase, ácido ascórbico, hidroximetilfurfuraldeído e carotenoides.

Diminui os riscos de infecção urinária: Alguns estudos apontaram que bactérias causadoras de certas doenças são sensíveis a ação antibacteriana do mel. Entre esses microrganismos estão a streptococcus faecalis, proteus species e pseudomonas aeruginosa, todas elas podem causar a infecção urinária.

Melhora o sono e ajuda a relaxar: O mel estimula a produção de serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de prazer e bem-estar. O alimento é um carboidrato fonte de triptofano, um aminoácido precursor da serotonina, que é o hormônio responsável por baixar os níveis de estresse do organismo, melhorando o bem-estar. O mel tem uma função importante como regenerador da microbiota intestinal, quando combinado aos lactobacilos presentes no intestino. Sabe-se que mais de 90% da serotonina é produzida no intestino, portanto o mel ajuda a manter a integridade intestinal colaborando com uma melhor regulação neuro-endócrina, com mais serotonina e mais disposição e sensação de prazer.

Quantidade recomendada de mel

O quanto consumir de mel por dia pode variar entre uma colher de chá, cerca de 10 gramas, a uma colher de sopa, aproximadamente 25 gramas. É importante ressaltar que este alimento deve ser inserido em uma dieta saudável.

Como consumir o mel

O mel pode ser utilizado como uma substituição saudável ao açúcar refinado na preparação de bolos, tortas, biscoitos, entre outros doces. Também é interessante consumi-lo com torradas, frutas, iogurtes, sucos e até mesmo na receita de carnes.

Evite o aquecimento em excesso do mel, pois isto pode reduzir a acidez e a umidade do alimento e causar a perda de algumas enzimas, fazendo com que o alimento deixe de ter parte de suas propriedades benéficas. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária orienta aquecer o alimento até no máximo 70 graus.

Mel cristalizado: Por ser uma solução rica em açúcar, quando armazenado em temperaturas abaixo da média da colmeia, que é entre 34 e 35 graus, o mel pode cristalizar. Para que ele volte ao estado líquido sem perder as propriedades nutricionais a orientação é colocar a quantidade a ser utilizada de mel em um pote em banho-maria a 45 graus durante cinco minutos. Deixe a água esfriar com o pote dentro.

Cuidados com a origem do mel: É importante ficar atento para a procedência do mel. Opte sempre pelo produto que tem as informações do fabricante e o selo do Serviço de Inspeção Federal (S.I.F). O S.I.F pertence ao Departamento de Inspeção de Produtos de Origem Animal que tem por objetivo normatizar e autorizar a produção e comercialização de todos os alimentos de origem animal no Brasil.

Comparando o mel com outros alimentos

Nutrientes Mel – 25 gramas Melado – 25 gramas Açúcar refinado – 50 gramas Açúcar mascavo – 50 gramas
Calorias 77.25 kcal 74 kcal 193.5 kcal 184.5 kcal
Carboidratos 21 g 19.15 g 49.75 g 47.25 g
Cálcio 2.5 mg 25.5 mg 2 mg 63.5 mg
Magnésio 1.5 mg 28.75 mg 0.5 mg 40 mg
Ferro 0.075 mg 1.35 mg 0.05 mg 4.15 mg
Potássio 24.75 mg 98.75 mg 3 mg 261 mg
Fósforo 1 mg 18.5 mg 0 mg 19 mg

Fonte: Tabela Brasileira de Composição dos Alimentos / Taco – versão 2, UNICAMP.
*Comparação baseada nas quantidades diárias recomendadas de cada alimento. Valores Diários de referência para adultos com base em uma dieta de 2.000 kcal ou 8.400 kj. Seu valores diários podem ser maiores ou menores dependendo de suas necessidades energéticas.

O mel é muito mais saudável para a alimentação do que o açúcar refinado. Enquanto o primeiro possui uma série de substâncias que proporcionam benefícios para o organismo, o segundo é somente fonte de calorias, sem outros nutrientes interessante.

Já o açúcar mascavo não passa pelo processo de refinamento e por isso preserva nutrientes em sua composição. Ele conta com boas quantidades de ferro, importante para evitar a anemia, e potássio, nutriente que participa do processo de equilíbrio da pressão arterial. Além disso, o alimento possui magnésio, fósforo e cálcio. Porém, o alimento não possui as propriedades antioxidantes, antibacterianas e prebióticas do mel.

O melado, que assim como o açúcar refinado e mascavo é derivado da cana de açúcar, é uma outra opção para adoçar, pois não passa pelo refinamento. Assim, ele possui boas quantidades de nutrientes semelhantes aos do mascavo, como o ferro e o potássio. Alguns estudos apontam que o melado é interessante para a prisão de ventre. Contudo, ele também não possui as propriedades antioxidantes, antibacterianas e prebióticas do mel.

(…)

Contraindicações:

O mel não deve ser consumido por crianças menores de um ano. Isto porque o alimento pode ter clostridium botulunum, bactéria causadora do botulismo. A doença pode causar problemas de saúde sérios como visão dupla e embaçada, fotofobia, tonturas, boca seca, constipação, comprometimento do sistema nervoso (dificuldades para engolir, falar, se mover) e comprometimento dos músculos respiratórios. Esta quantidade de bactéria presente no mel pode ser prejudicial para crianças com menos de um ano porque elas não possuem a microbiota completamente formada. Para os adultos saudáveis esta quantidade de clostridium botulunum não é prejudicial. 

Além disso, o mel não é recomendado para pessoas que possuem diabetes. Isto porque este alimento rico em açúcar pode levar a picos de glicemia no organismo. Grávidas também devem ficar atentas ao mel e procurar incluí-lo em uma dieta saudável, a fim de evitar o risco de diabetes gestacional.

Riscos do consumo excessivo

Como o mel é muito calórico e rico em açúcar o consumo em excesso pode causar o ganho de peso. Além disso, grandes quantidades de mel, assim como o açúcar, podem elevar os níveis de glicose no sangue rapidamente, fazendo com que os níveis de insulina aumentem e consequentemente a longo prazo isso pode levar a resistência à insulina que favorece o diabetes tipo 2.

(…)

Fonte: Informação retirada do Portal MinhaVida no dia 18 de fevereiro de 2015:

http://www.minhavida.com.br/alimentacao/tudo-sobre/17132-mel-o-alimento-aliado-do-intestino

 Dietas de desintoxicação, também conhecidas como detox, viraram uma grande moda nos últimos anos. Principalmente por conta dos resultados “milagrosos” que algumas famosas proclamam, com grandes perdas de peso, em um curto espaço de tempo. No entanto, o resultado pode ser muito diferente de eliminar toxinas e quilinhos indesejados. Quando feita de maneira incorreta, a dieta detox pode colocar seu corpo em uma montanha-russa prejudicial – e até mesmo perigosa.

Existem diversas técnicas milenares muito conhecidas que, quando bem orientadas e conduzidas por profissionais capacitados, trazem perda de peso, melhoria do bem-estar, e até mesmo cura de vários males. Um bom exemplo disso é o panchakarma, da medicina ayurvédica, que consiste em um conjunto de tratamentos terapêuticos para uma desintoxicação completa do organismo. Este tipo de dieta é tão profunda que só deve ser feita a cada 5 anos.

Essa linha de origem indiana também fala que a cada mudança de estação devemos mudar nossa alimentação para limpar o corpo das toxinas do período anterior e preparar o organismo para o clima dos próximos meses. Assim, mantemos o organismo em equilíbrio e evitamos doenças.

(…)

Mas também existem outras linhas que podem ser não apenas radicais, como também muito complicadas de administrar junto com nossa ocupada rotina diária. Como a Master Cleanse, ou dieta da limonada, que consiste em tomar uma limonada com mel e pimenta caiena por um ou vários dias. Imagine continuar trabalhando, cuidando da casa e da família, estudar ou até mesmo sair para se divertir com apenas isso no estômago?

É claro que vai haver uma perda de peso drástica e eliminação de toxinas, já que o consumo de alimentos e calorias é praticamente inexistente. Mas as dietas com restrição calórica, na maioria das vezes, causam um efeito rebote imediato e intenso.

Isso porque elas causam perda de líquidos e de massa muscular, fazendo com que o organismo entre em estado de sobrevivência e, por isso, comece a conservar e a acumular gordura. O metabolismo desacelera e faz com o que o corpo fique com ainda mais facilidade de ganhar peso.

Aprenda a se livrar corretamente das toxinas e gorduras

(…)

Tomar água abundantemente durante todo o dia, além de ajudar na perda de peso e na diminuição do inchaço, é o primeiro passo para cuidar de nossa saúde e fazer uma detox. Dê preferência para armazenar o líquido em recipientes de vidro ou aço. Evite embalagens plásticas e sempre use um filtro que retira o cloro e o flúor da água – todas elas substâncias tóxicas.

Comer folhas verde-escuras orgânicas de 2 a 3 vezes por dia não apenas nutre o corpo de forma profunda, como também ajuda no processo de remoção das toxinas e ajuda a ter mais disposição. Salsa e coentro são tão poderosos que podem ajudar a eliminar até metais pesados que respiramos no ar ou engolimos com a comida.

Use o limão na água, nos sucos e para temperar a comida. Além de alcalinizar o organismo, que se torna ácido pelos hábitos de alimentação e estilo de vida, ele purifica o sangue e aumenta a capacidade do corpo de se livrar da TPM, das espinhas e das toxinas.”

Fonte: Informação retirada do Portal Personare no dia 17 de fevereiro de 2015:

http://www.personare.com.br/o-que-ninguem-conta-sobre-dietas-detox-m4038

Sorvete de banana

Publicado: fevereiro 16, 2015 em Receitas

Sorvete de banana

” Ingredientes:

  • 4 bananas-nanicas bem maduras
  • 1 xícara (chá) de creme de leite (pode ser fresco, lata ou caixinha)
  • 1 xícara (chá) de leite
  • Açúcar a gosto (a quantidade pode variar de 1/3 a 1/2 xícara (chá), dependendo de quão doce estiver a banana)
  • Suco de 1 limão

Modo de Preparo:

No liquidificador, bata a banana com o suco de limão, o leite e o creme de leite até obter um creme liso.

Junte o açúcar aos poucos e bata em uma sorveteira (na batedeira, leve o preparo ao freezer por 30 minutos, retire e bata por 5 minutos; volte ao freezer e repita a operação mais 3 vezes para que o sorvete fique cremoso).

Fonte: Informação retirada do Portal MSN no dia 16 de fevereiro de 2015:

http://www.msn.com/pt-br/receitasebebidas/receitas/sorvete-de-banana/fd-aad3b16d-472c-5df3-9ad5-2e10245e273c?ocid=mailsignoutmd

 

(…) a nutricionista Liane Schwarz Buchman elaborou uma receita poderosa de lanche pós-treino: um sanduíche de espinafre e clara de ovo para turbinar os músculos (…).

O espinafre é aliado de quem malha porque fortalece os músculos e ajuda no desempenho durante os exercícios, uma vez que auxilia no processo de transporte de oxigênio para as células durante a atividade muscular. A lista extensa de nutrientes dessa hortaliça faz com que ela ofereça ainda benefícios para o sistema nervoso, a memória, ossos, visão, controle da pressão arterial e colesterol e contra o envelhecimento precoce e até o câncer.

Esse sanduíche também é uma das formas de incluir a clara de ovo na dieta para emagrecer e definir. A parte branquinha do ovo é uma excelente fonte de proteínas que pode reconstruir as fibras musculares e garantir melhores resultados na academia, além de aumentar o percentual de massa magra no corpo.

(…)

Ingredientes:

  • 100g de espinafre lavado
  • 1 colher de chá de farinha de berinjela ou de  aveia
  • Sal e pimenta do reino à gosto
  • 2 fatias de pão integral
  • 1 clara de ovo cozida e picada

Modo de preparo:

Primeiro, prepare um creme com o espinafre. Comece cozinhando as folhas por cerca de 5 minutos em um pouco de água, até que fiquem macias. Depois, bata no liquidificador as folhas junto com a farinha e um pouco (bem pouco) de água da própria panela onde foi preparado o espinafre. Em seguida, coloque na panela novamente e mexa bem até engrossar e ficar com a consistência de creme. Tempere com sal e pimenta do reino à gosto.

Agora é hora de preparar o pão. Espalhe um pouco do creme de espinafre em uma das fatias e cubra com a clara de ovo cozida e picadinha. Feche o pão e, se quiser, aqueça no forno.

*A receita foi adaptada e faz parte de um cardápio elaborado pela nutricionista Liane Schwarz Buchman por meio de uma parceria entre a rede de sanduíches Tostex e a clínica de nutrição BodyHealth

Fonte: Informação retirada do Portal bolsa de mulher no dia 15 de fevereiro de 2015:

http://www.bolsademulher.com/corpo/lanche-pos-treino-sanduiche-popeye-que-turbina-resultados-da-academia